sábado, 19 de novembro de 2011

terça-feira, 12 de julho de 2011

Fotos - Peruíbe





Julho/2011

Orquídeas


São do jardim da casa da minha mãe!!!

Solidariedade

video

terça-feira, 5 de julho de 2011

macarronada...




Hoje fizemos uma macarronada muito gostosa, à moda italiana. Aí vai a receita:
Molho: ( p/ 1Kg de massa)
2,5 Kg de tomates tipo italiano maduro
Retirar as sementes, colocar em uma panela com um pouco de água, uma cebola cortada em 4, e 2 folhasde louro.
Deixar ferver. Peneirar este cozido, e colocar em uma panela com um pouco de azeite, sal e um maço de mangericão.Ferver até apurar um pouco. Pronto!!! O molho está prontinho, e a massa..;
É só ligar pro Julio, que faz um macarrão caseiro delicioso. Nós encomendamos massa verde com queijo e presunto, mas tem muitos outros sabores. Confira!!!!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Manacá



Não resisti, e andei fotografando um pequeno pé de manacá que está assim florido, no caminho que faço para o trabalho.São as flores da época, encantando o nosso dia-a-dia...

domingo, 26 de junho de 2011

As Tangerinas da vida


Estes dias eu recebi uma mensagem bonita por e-mail, eu gostaria de transcrever aqui, com minhas palavras, para uma reflexão.
Quando criança, ao pegar uma tangerina, corria a minha mãe ou a meu pai e dizia:
-Pai, começa o começo para mim?!
Eu queria que ele fizesse o primeiro rasgo na casca, que era resistente e difícil para as mãos de uma criança.Ele então começava para que eu pudesse terminar de retirar a casca toda, e assim saborear a fruta.
Depois fui crescendo, e aprendendo que a vida é cheia de outras "tangerinas", difíceis de descascar- tem a escolha da profissão, o desafio do primeiro emprego, do segundo, do terceiro... o casamento, a família, a difícil tarefa de educar os filhos...a compra de uma casa nova... São tantas decisões, tantos "começos" e recomeços, que dá vontade de pedir para minha mãe ou meu pai começarem para mim!
Então me lembro da segurança de ser atendida por eles sempre que pedia para "começar o começo"- era a certeza de que conseguiria chegar até o final!
Sempre que a vida parece grossa e difícil, como a casca de uma tangerina nas mãos de uma criança, lembro-me de pedir ao nosso Pai do céu, que é eterno, e tem por nós um amor incondicional: "-Pai, começa o começo!"
Assim, temos sempre nosso Pai, que nos ajudará a enfrentar cada desafio, cada situação de vida, para podermos resolver o resto, e saborear cada vitória.
Também peço à minha Mãe do céu - Nossa Senhora - que é mãe de todos os filhos de Deus, para que também "comece o começo", intercedendo por nós ao seu Amado Filho - Jesus - nos abençoando e protegendo sempre, e iluminando nosso caminho.
Que todas as nossas tangerinas sejam mais fáceis de descascar daqui para frente

sábado, 25 de junho de 2011

Ter um Jardim...



Cultivar um jardim é uma terapia, uns dizem. Mas não é só isso. É ter a beleza a nos esperar todos os dias, ao chegarmos em casa cansados, e podermos ter as boas vindas das flores a nos receber... É ter a sensação de paz e calma. É atrair passarinhos , abelhas que procuram o nectar para o doce mel, e lindas borboletas multicoloridas, proparcionando uma festa da natureza em um pequeno pedaço de terra no meio da cidade poluída...
É ver a natureza desabrochar entre folhas verdes e flores. É dar espaço para que ela creça e floresça...
É amar a natureza e poder ver Deus em cada detalhe...
Eu AMO meu pequeno jardim...Quando a gente cuida, a natureza nos surpreende!
(foto: a roseira este ano me surpreendeu!!!)

Paraíso - Peruíbe



Na semana passada estive no meu paraíso particular, curtindo esta paisagem encantadora, de final de outono.

domingo, 29 de maio de 2011

Tô nessa!!!

Filhos

Filhos são do mundo; por José Saramago


Devemos criar os filhos para o mundo. Torná-los autônomos, libertos, até
de nossas ordens.
A partir de certa idade, só valem conselhos. Especialistas ensinaram-nos a
acreditar que só esta postura torna adulto aquele bebê que um dia levamos na
barriga.
E a maioria de nós pais acredita e tenta fazer isso. O que não nos impede
de sofrer quando fazem escolhas diferentes daquelas que gostaríamos ou
quando eles próprios sofrem pelas escolhas que recomendamos.
Então, filho é um ser que nos emprestaram para um curso intensivo de como
amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para
darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser
pai ou mãe é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a
todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e
do medo de perder algo tão amado.
Perder? Como? Não é nosso, recordam-se? Foi apenas um empréstimo! Então,
de quem são nossos filhos?
Eu acredito que são de Deus, mas com respeito aos ateus digamos que são
deles próprios, donos de suas vidas, porém, um tempo precisaram ser
dependentes dos pais para crescerem, biológica, sociológica, psicológica e
emocionalmente.
E o meu sentimento, a minha dedicação, o meu investimento? Não deveriam
retornar em sorrisos, orgulho, netos e amparo na velhice?
Pensar assim é entender os filhos como nossos e eles, não se esqueçam, são
do mundo! Volto para casa ao fim do plantão, início de férias, mais tempo
para os filhos, olho meus pequenos pimpolhos e penso como seria bom se não
fossem apenas empréstimo! Mas é. Eles são do mundo.
O problema é que meu coração já é deles. Santo anjo do Senhor... É a mais
concreta realidade. Só resta a nós, mães e pais, rezar e aproveitar todos os
momentos possíveis ao lado das nossas "crias", que mesmo sendo
"emprestadas"; são a maior parte de nós !!! "A vida é breve, mas
cabe nela muito mais do que somos capazes de viver ";

José Saramago

sábado, 16 de abril de 2011

Japão, pela Monja Coen


JAPÃO
Quando voltei ao Brasil, depois de residir doze anos no Japão, me incumbi da difícil missão de transmitir o que mais me impressionou do povo Japonês: kokoro.
Kokoro ou Shin significa coração-mente-essência.
Como educar pessoas a ter sensibilidade suficiente para sair de si mesmas, de suas necessidades pessoais e se colocar à serviço e disposição do grupo, das outras pessoas, da natureza ilimitada?
Outra palavra é gaman: aguentar, suportar. Educação para ser capaz de suportar dificuldades e superá-las.
Assim, os eventos de 11 de março, no Nordeste japonês, surpreenderam o mundo de duas maneiras.
A primeira pela violência do tsunami e dos vários terremotos, bem como dos perigos de radiação das usinas nucleares de Fukushima.
A segunda pela disciplina, ordem, dignidade, paciência, honra e respeito de todas as vítimas.
Filas de pessoas passando baldes cheios e vazios, de uma piscina para os banheiros.
Nos abrigos, a surpresa das repórteres norte americanas: ninguém queria tirar vantagem sobre ninguém. Compartilhavam cobertas, alimentos, dores, saudades, preocupações, massagens. Cada qual se mantinha em sua área. As crianças não faziam algazarra, não corriam e gritavam, mas se mantinham no espaço que a família havia reservado.
Não furaram as filas para assistência médica – quantas pessoas necessitando de remédios perdidos-
mas esperaram sua vez também para receber água, usar o telefone, receber atenção médica, alimentos, roupas e escalda pés singelos, com pouquíssima água.
Compartilharam também do resfriado, da falta de água para higiene pessoal e coletiva, da fome, da tristeza, da dor, das perdas de verduras, leite, da morte.
Nos supermercados lotados e esvaziados de alimentos, não houve saques. Houve a resignação da tragédia e o agradecimento pelo pouco que recebiam. Ensinamento de Buda, hoje enraizado na cultura e chamado de kansha no kokoro: coração de gratidão.
Sumimasen é outra palavra chave. Desculpe, sinto muito, com licença. Por vezes me parecia que as pessoas pediam desculpas por viver. Desculpe causar preocupação, desculpe incomodar, desculpe precisar falar com você, ou tocar à sua porta. Desculpe pela minha dor, pelo minhas lágrimas, pela minha passagem, pela preocupação que estamos causando ao mundo. Sumimasem.
Quando temos humildade e respeito pensamos nos outros, nos seus sentimentos, necessidades. Quando cuidamos da vida como um todo, somos cuidadas e respeitadas.
O inverso não é verdadeiro: se pensar primeiro em mim e só cuidar de mim, perderei. Cada um de nós, cada uma de nós é o todo manifesto.
Acompanhando as transmissões na TV e na Internet pude pressentir a atenção e cuidado com quem estaria assistindo: mostrar a realidade, sem ofender, sem estarrecer, sem causar pânico. As vítimas encontradas, vivas ou mortas eram gentilmente cobertas pelos grupos de resgate e delicadamente transportadas – quer para as tendas do exército, que serviam de hospital, quer para as ambulâncias, helicópteros, barcos, que os levariam a hospitais.
Análise da situação por especialistas, informações incessantes a toda população pelos oficiais do governo e a noção bem estabelecida de que “somos um só povo e um só país”.
Telefonei várias vezes aos templos por onde passei e recebi telefonemas. Diziam-me do exagero das notícias internacionais, da confiança nas soluções que seriam encontradas e todos me pediram que não cancelasse nossa viagem em Julho próximo.
Aprendemos com essa tragédia o que Buda ensinou há dois mil e quinhentos anos: a vida é transitória, nada é seguro neste mundo, tudo pode ser destruído em um instante e reconstruído novamente.
Reafirmando a Lei da Causalidade podemos perceber como tudo está interligado e que nós humanos não somos e jamais seremos capazes de salvar a Terra. O planeta tem seu próprio movimento e vida. Estamos na superfície, na casquinha mais fina. Os movimentos das placas tectônicas não tem a ver com sentimentos humanos, com divindades, vinganças ou castigos. O que podemos fazer é cuidar da pequena camada produtiva, da água, do solo e do ar que respiramos. E isso já é uma tarefa e tanto.
Aprendemos com o povo japonês que a solidariedade leva à ordem, que a paciência leva à tranquilidade e que o sofrimento compartilhado leva à reconstrução.
Esse exemplo de solidariedade, de bravura, dignidade, de humildade, de respeito aos vivos e aos mortos ficará impresso em todos que acompanharam os eventos que se seguiram a 11 de março.
Minhas preces, meus respeitos, minha ternura e minha imensa tristeza em testemunhar tanto sofrimento e tanta dor de um povo que aprendi a amar e respeitar.
Havia pessoas suas conhecidas na tragédia?, me perguntaram. E só posso dizer : todas. Todas eram e são pessoas de meu conhecimento. Com elas aprendi a orar, a ter fé, paciência, persistência. Aprendi a respeitar meus ancestrais e a linhagem de Budas.
Mãos em prece (gassho)
Monja Coen

sábado, 19 de março de 2011

São José




Hoje, 19 de março, é dia de São José. Ao falar de José, logo me lembro de uma bondade sem fim; de humildade, de paciência, e principalmente de confiança, coragem e FÉ!
José era um chefe de família, e não era qualquer uma: era a “Sagrada Família”. Com coragem, soube proteger Maria e o pequeno Jesus quando se fez necessário, soube cuidar e educar o Filho, lhe ensinando um trabalho; soube amar Maria incondicionalmente.
Pouco sabemos sobre a vida de José através dos Evangelhos, mas sabemos que era carpinteiro, que parte de sua vida foi dedicada à esta Família,e que ele abençoadamente ao morrer, tinha Maria e Jesus ao seu lado.
Hoje, podemos encontrar pessoas assim, como José, que sabe confiar, esperar, sabe ser bom e puro de coração? Encontramos chefes de família tão dedicados, apaixonados e responsáveis?
Tenho certeza que sim: podemos encontrar ainda hoje pais que cuidam, protegem, se preocupam, amam suas famílias a ponto de passarem a vida trabalhando pelo seu bem. É a todos estes “Josés” de hoje que vamos voltar nossos pensamentos , todo o nosso amor e agradecimento, para que possam ter sempre Jesus e Maria ao seu lado!

São José, valei-nos!

"José foi um pai tão maravilhoso, que Jesus chamava a Deus de PAI"

As fotos acima nós tiramos na Igreja da Sagrada Família em Nazaré, Israel/junho 2010

domingo, 13 de março de 2011

YouTube - Human Planet - Web exclusive series trailer - BBC One

YouTube - Human Planet - Web exclusive series trailer - BBC One
E por falar nisso... aproveitando o "gancho" da Campanha da Fraternidade, vejam este vídeo fantástico de cenas do nosso Planeta e seus habitantes...

Campanha da Fraternidade - 2011




CF 2011: Creio em Deus, Pai Criador
Artigo do Cardeal Dom Odilo Scherer

A Campanha da Fraternidade de 2011 (CF-2011) propõe uma questão de evidente atualidade: fraternidade e a vida no nosso Planeta. Nem é preciso argumentar muito para justificar a escolha desse tema pela CNBB: Já faz tempo que estudiosos estão alertando para o fenômeno do aquecimento global e suas consequências para o clima e para o equilíbrio ecológico.
As conferências mundiais sobre o clima, que congregam as maiores autoridades científicas da área, deixam sempre mais evidente que o sistema produtivo da economia moderna e contemporânea desencadeia intervenções inadequadas do homem na natureza e se constitui numa ameaça real para o equilíbrio ecológico e até mesmo para o futuro da vida na terra. Em contraste com tais constatações, nas mesmas movimentadas conferências sobre o clima, as principais autoridades políticas e econômicas do planeta não conseguem chegar a um acordo sobre as medidas a serem adotadas para sanar o problema e prevenir os riscos. É difícil redimensionar o desenvolvimento econômico, quando a receita é renunciar a certo padrão de consumo dos recursos naturais, que equivale à depredação e depauperamento da natureza. Exigimos da natureza mais do que ela pode oferecer, sem comprometer a sua sustentabilidade.
A CF-2011 convida a encarar seriamente a responsabilidade humana em relação ao futuro da vida no planeta Terra, o “ninho da vida” no universo, a casa comum da grande e diversificada família humana. O Texto Base, que apresenta a proposta da CF, traz argumentos e reflexões sobre o fenômeno do aquecimento global e os motivos que deveriam levar todos a pensar sobre o que é possível fazer e o que não se deveria fazer, para evitar a deterioração do ambiente da vida na Terra. Argumentos bíblicos e teológicos deveriam motivar os cristãos e todos os crentes em Deus a uma verdadeira conversão nos modos de viver e de se relacionar com a natureza, quando ficam comprometidas a qualidade da vida e a fraternidade na família humana. Todos são convidados a se envolverem na CF-2011.
Destaco dois motivos de fundo religioso, que deveriam ser levados em conta por todas as pessoas de fé no tocante à questão ecológica. Primeiramente, tratar bem a natureza e cuidar do pedaço do planeta que ocupamos está implicado na nossa fé no Deus Criador. Professamos a fé no Deus, Criador do Céu e da Terra, não importa como, ou quando isso aconteceu. A ciência pode continuar a pesquisar sobre a origem do universo e da vida na Terra e isso não contradiz a nossa fé no Deus Criador. O certo é que não fomos nós que demos origem a toda essa beleza e grandiosidade. Dizer que tudo isso surgiu por si mesmo é um grande absurdo.
Mas também aprendemos da nossa fé que Deus fez o homem à sua imagem e semelhança, confiando-lhe o cuidado do “jardim da vida”. Embora pequeninos entre as criaturas do grande universo, somos importantes e Deus nos trata com predileção especial. O poeta do Salmo tem consciência disso, quando exclama, admirando o céu numa noite estrelada: “Que é o homem, Senhor, para que dele te ocupes?! No entanto, Tu o fizeste pouco menor que um deus... Tu o colocaste à frente da obra de tuas mãos!” (cf Sl 8). Sim, Deus colocou o mundo à disposição do homem; não para que acabe com ele, e sim, para que dele viva e usufrua, mas também para que zele por ele, qual bom administrador. Cuidar bem da natureza é sinal de fé e de gratidão para com o Deus Criador. Avançar sobre a natureza com a vontade de possuir e dominar é cair novamente na tentação de “ser deuses”, como Adão e Eva no paraíso (cf Gn 3). Quando o homem resolve assumir o lugar de Deus, desprezando seu desígnio, a desordem e o caos entram no mundo, com seus frutos de injustiça, violência e morte.
O outro motivo, relacionado com o primeiro, é de fundo ético e moral: Cuidar bem da Terra, nossa casa comum, é questão de responsabilidade e solidariedade. Os bens da criação foram colocados por Deus à disposição de todas as suas criaturas; descuidar da natureza, ou estragá-la, é falta de respeito e de justiça para com o próximo e para com as futuras gerações. Não somos os únicos a ocupar esta casa, nem seremos os últimos; e é moralmente correto pensar nos outros, quando nos relacionamos com a natureza. Não ficará bem deixar atrás de nós um paraíso depredado, o mundo cheio de lixo, as terras desertificadas, as águas contaminadas, o ar irrespirável, o equilíbrio ecológico comprometido... A CF-2011 é um convite a refletir, para formar uma consciência comum sobre nossa responsabilidade e para tomar decisões eficazes sobre os cuidados que a Terra merece. É nossa casa comum. E ainda será a casa dos que viverão depois de nós.
Cardeal Dom Odilo Pedro Scherer
Arcebispo metropolitano de São Paulo

ÊXODO


Na última semana, retornamos às aulas de Teologia, que já frequento há dois anos. São aulas muito enriquecedoras, onde aprendemos a aprofundar a nossa fé, a termos outra visão da religião que conhecemos desde criança. Quantas vezes já ouvimos as histórias do Gênesis, da Criação do Mundo e do homem, da saída do Egito, das Tábuas da Lei de Moisés, etc. Mas agora vejo tudo isso com outras perspectivas, com um novo olhar, e o mais importante é "O QUE" este novo olhar trará para minha vida, para entender cada momento, para ajudar na evangelização e no meu dia a dia, no meu trabalho e na vida de minha família. È incrível como é rico o texto bíblico, e como às vezes não percebemos isso, por estarmos até " acostumados" a ler com a visão de quem "já sabe desta história"!
Uma das reflexões que fiz foi sobre o Êxodo. A nossa vida é uma eterna caminhada, a procura da Terra Prometida, do Reino de Deus.Quantas vezes nos sentimos oprimidos, explorados por sentimentos de incertezas, de angústias, de raiva e ódio até. O stress diário, a depressão,a falta de tempo - ou melhor, a desorganização do tempo - tudo isso é comum hoje em dia, e se deixarmos, são situações que vão nos maltratando cruelmente todos os dias. Estamos então no " Egito", e precisamos ser libertados, sendo chamados à sair. Para conseguir é prioridade ter Fé, a certeza de que Deus ESTÁ ao nosso lado. É Ele quem vai nos guiar na caminhada, que nos dará o alimento, a força, a coragem dia após dia. È necessário que se faça uma Aliança com Ele, que vivamos em sua Lei, que sabemos agora ser apenas AMAR. E assim, começar a caminhar, e esta caminhada pode ser até ardua, difícil: é um caminho pelo "deserto", afinal. É neste caminho que vamos amadurecer nossas idéias, definir o que é a nossa "Terra Prometida", aonde queremos chegar, e é durante esta caminhada que iremos conhecer à Deus com maior profundidade, e também conhecermos a nós mesmos. Nós fomos criados para sermos FELIZES, e isso só é possível quando estamos entre pessoas felizes, e se pudermos proporcionar pelo menos um pouquinho de felicidade ao nossos irmãos. Chegaremos aí à Terra Prometida. Mas logo aparecerão novos problemas, e seremos chamados novamente, só que a cada caminhada, teremos a experiência da anterior, e conseguiremos chegar com maior rapidez, adquirindo novas conquistas. Assim sucessivamente, na nossa caminhada de FÈ!
Meus amigos, olhando agora para trás, quantas vezes já passei por isso! Quantas saídas do Egito, já até passei pelo Mar Vermelho, e Deus me deixou atravessar em terra seca, enquanto meus medos e angustias se afogaram lá atrás. Já fiz tantas Alianças, já desanimei no deserto , já murmurei, reclamei, puxa!!! Foram tantos Êxodos, e ainda enfrentarei muitos outros... Mas a cada um , mais preparada, mais confiante, e SEMPRE COM DEUS AO MEU LADO. ESTA CERTEZA ME BASTA!!!

terça-feira, 8 de março de 2011

Para meus AMIGOS



Este ano resolvi passar o carnaval descansando...só no sofá, vendo os outros sambarem...
Espero que todos tenham tido um ótimo carnaval, curtindo MUITO, cada um do seu jeito!!!!!!

segunda-feira, 7 de março de 2011

Difícil ser Cristão?!?

Ontem foi dia de plantão para fazer as inscrições para a catequese de 2011, lá na Igreja em que eu participo. Quando chegamos, um amigo que já estava lá comentou, com um tremendo desgosto, que uma senhora foi fazer a inscrição de sua filha e perguntou quais as opções de dias para as reuniões. Ele respondeu:
- Temos reuniões de terça a sexta à noite, e o catecismo de segunda à sábado.
A decepção veio com o comentário da mulher:
- Assim fica difícil ser cristão!!! A igreja não nos dá opções de horário!!!
Ficamos perplexos e surpresos com esta observação: a catequese é feita de segunda à sábado, e ela quer que horário mais?! Nós, que trabalhamos na Pastoral, somos voluntários, temos nossos compromissos também: emprego, filhos, cursos,tarefas diárias...e ainda encontramos tempo para nos dedicarmos preparando aulas, organizando as reuniões, estudando o que vamos falar , etc.Mas parece que isso ainda é pouco!
Eu digo à esta e a outros que pensam como esta senhora, que também é difícil ser um bom aluno, e se tornar um bom profissional; é difícil ser uma bailarina, falar inglês fluente, saber nadar, tocar violão ou piano. Para tudo isso, é necessário dedicação, tempo, estudo, treino.
E para ser Cristão?Para ser CRISTÃO é preciso ser BOM, ter bom senso, ter EDUCAÇÃO, saber o que CRISTO disse e fez, ler a Bíblia, o Evangelho, saber interpretá-lo, ser amigo, fiel, honesto, frequentar a missa aos domingos, guardar dias santos, respeitar o nome de Deus.
Arrumar um tempo por semana para levar seu filho à catequese não é nada difícil, se compararmos com toda a correria dos dias de hoje. Se conseguimos tempo para tantas coisas, porque não para ensinarmos nossas crianças sobre sua religião? É importante que as crianças saibam e VIVAM o cristianismo, que está tão afastado das escolas atualmente, tão longe dos jovens, das "tribos", das turminhas que têm por aí.
Para quem tem uma criança em casa, pense nisso. Dê à ela a oportunidade de ser alguém do BEM, de ser FELIZ, de criar raízes profundas para que nenhuma ventania o abale no futuro.
Construa a casa de seu filho sobre a ROCHA firme da Palavra de Deus. Assim,serão fortes diante das diversidades da vida ! ( Mt 7, 21 - 27)

A catequese na nossa Paróquia é familiar - as crianças fazem o catecismo e os pais também participam, em reuniões semanais, entre amigos, onde discutimos temas, conversamos, e APRENDEMOS QUE É MUITO FÁCIL E GRATIFICANTE SER CRISTÃO!!!

Santuário - Paróquia Nossa Senhora da Salette
Site: www.portalsalette.org.br

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O Vôo


Goza a euforia do vôo do anjo perdido em ti.
Não indagues se nessas estradas tempo e vento desabam no abismo.
Que sabes tu do fim?
Se temes que teu mistério seja uma noite,
enche-o de estrelas.
Conserva a ilusão de que teu vôo te leva sempre para o mais alto.
No deslumbramento da ascensão, se pressentires que amanhã estarás mudo, esgota, como um pássaro, as canções que tens na garganta.
Canta. Canta para conservar uma ilusão de festa e de vitória.
Talvez as canções adormeçam as feras que esperam devorar o pássaro.
Desde que nasceste não és mais que um vôo no tempo.
Rumo ao céu?
Que importa a rota?
Voa e canta enquanto lhe resistirem as asas
.

Menotti Del Picchia

Dana Winner - Conquista do Paraíso-

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Mãos Talentosas

Ontem eu assisti a este filme, e achei lindo! É a história real do Ben Carson, que é considerado o melhor neurocirurgião infantil da atualidade. Ele atua no hospital John Hospkins, nos EUA.
A história chama a atenção por várias coisas, como a sua tragetória, inteligência, dedicação, mas principalmente duas coisas me emocionaram: uma delas foi a determinação de sua mãe, que não sabia ler, mas fez de tudo para que seus filhos fossem MELHORES do que as outras pessoas. Foi uma presença FORTE e DETERMINANTE na vida dele.
A outra foi a FÉ que ele demonstrou durante toda a sua vida, nunca deixando de lado a confiança de que Deus estava do seu lado. É muito legal uma cena dele se paramentando para uma cirurgia importante, e pede à Deus que o acompanhe.
Então, fica a dica deste filme lindo e muito emocionante, que é uma verdadeira lição de vida!
" Mãos Talentosas"- a história de Ben Carson

domingo, 30 de janeiro de 2011

Dra Zilda Arns


Há um ano, naquele terrível terremoto no Haiti, onde mais de 200.000 pessoas morreram, perdemos também a incrível dra Zilda Arns, que criou a Pastoral da Criança aqui no Brasil, e foi exemplo para países do mundo todo.
A dra Zilda morreu após ministrar uma palestra para sacerdotes em uma Igreja no Haiti, a qual foi totalmente destruída. Me lembro de ver as imagens dos escombros da Igreja, sobrando somente em pé uma imagem de um enorme crucifixo.
Nesta última palestra, uma das mensagens que ela passou foi:

"Assim como os pássaros que protegem seus filhotes deixando-os em lugares altos em seus ninhos, mantendo-os longe dos perigos e mais perto de Deus, assim devemos cuidar de nossas crianças"

Na época , fiquei muito emocionada com as notícias que vieram do Haiti, e acho que todos ficaram. Eu sempre admirei muito o trabalho da dra Zilda, que com orientações simples , dando informações às mães e cuidadoras de crianças, conseguiu diminuir as taxas da mortalidade infantil aqui e até em outros países. A Pastoral da Criança orienta a alimentação, fornece a multimistura, ensina o soro caseiro, que já salvou milhares de crianças da desnutrição, entre outras coisas. Simples, barato, muito inteligente!
Às vezes, muitos de nós trabalhamos e quando há um problema qualquer, ficamos à espera de que o governo ou alguma autoridade resolva.Não foi o que ela fez: ao perceber que crianças morriam por simples falta de informação às mães, arregaçou as mangas de seus "santos" braços, e pôs mãos à obra, sem esperar que o governo resolvesse isso.
Muitas reportagens e depoimentos da época me chamaram a atenção:

"....se foi a belezinha que amava tanto as crianças..."(Hilda Arns, freira,irmã da dra Zilda)

"...Minha irmã morreu de maneira muito bonita, na causa que sempre acreditou. Que nosso Deus acolha no céu todos aqueles que na Terra lutaram pela crianças e pelos desamparados. Não é hora de perder as esperanças."- Dom Paulo Evaristo Arns

"Há pessoas que não enterramos, e sim semeamos" -frase de Dom Helder Câmara

Eu resolvi escrever um pouco aqui, para lembrar sempre desta grande pessoa, que semeou o amor pela terra, e que fez brotar tantos frutos.

"Bem-Aventurados os que tem fome e sede de Justiça, porque serão saciados(...), Bem-Aventurados os puros de coração, porque verão à Deus. Bem aventurados os que promovem a Paz, porque serão chamados Filho de Deus" Mt 5, 1-12 - Palavras de Jesus Cristo.

Bicicleta




Todo ano, quando passo férias neste meu "paraíso", que é Peruíbe, uma das coisas de que mais gosto é de fazer as caminhadas de final de tarde, pela orla da praia. É maravilhoso ter o privilégio de desfrutar desta paisagem linda, sentir a brisa, o cheiro do mar, a paz, o silêncio. A gente consegue ver, sentir, ouvir, enfim, focalizar cada sentido em particular, é uma verdadeira "meditação", aliada a uma atividade física e à respiração, dá para colocar os pensamentos em ordem, ou simplesmente não pensar em nada! Também é muito bom ir caminhar em companhia das amigas - Flávia e Lucimara - ou da minha mãe e minha irmã- conversando, rindo,e porque não, até cantando! ( que ninguém nos ouça!)
Mas neste ano, eu fiquei preocupada, pensando que não poderia fazer minhas caminhadas: estava com a tal " fascite plantar", que é uma inflamação no tendão do pé, que dá uma dor danada, e dificulta muito para andar. Estava com essa dor há quese 6 meses, e nada melhorava!
Aí, resolvi o problema com uma BICICLETA! É isso mesmo! Não força o pé, e dá para andar a orla inteira, e curtir do mesmo jeito.
Em Peruíbe tem várias ciclovias, pois a população de lá tem o hábito de usar a bike como meio de tranporte no dia a dia. Facilita bastante. Mas a ciclovia que eu mais curti foi a da praia, que pega toda a extensão, é um caminho muito bonito, todo arborizado, perfeito! No final, minha dor no pé serviu para que eu descobrisse um novo jeito de curtir as férias. E não é que , poupando a caminhada, a dor foi melhorando, e até deu para fazer uns passeiosà pé no final das férias!!!

domingo, 23 de janeiro de 2011

Portinho






Em Peruíbe tem um lugar muito legal para se comprar peixe - o Portinho. Fica na margem do rio que desagua no mar, dá para ver os barquinhos saindo e chegando, trazendo pescados fresquinhos, ainda contando com a simpatia do pessoal que trabalha lá: tem o box da dona Maria, da sua irmã dona Rosa, do Luíz, o box do Periquito, e tantos outros.Também dá para curtir uma paisagem linda, do rio com o mar, o morro dos Itatins, os barcos coloridos.
Este ano, temos uma novidade: foi construído um mercado de peixes e o pessoal vai se mudar para lá. Na verdade fica no mesmo lugar, mas ficou bem maior, mais moderno, mais prático. O Portinho já estava pequeno, quando a cidade está cheia de turistas, fica lotado.
Quem for conhecer Peruíbe, não deixe de visitar o lugar, e comprar peixe fresquinho, camarão, mariscos, ostras, siri, carangueijo, e pescados como a tainha, corvina, cação, pescada branca e tantos outros.
A mudança foi dia 20/janeiro/2011, e eu fui lá uns dias antes para fotografar o portinho "velho", e deixar registrado.Vai deixar saudades... É o progresso chegando!

Café da Tarde


Ah, como é bom uma tarde gostosa, no meio das férias, deitar preguiçosamente em uma rede, pensar na vida, ou simplesmente deixar a mente vazia, com " bolas de capim" rolando pelo deserto mental... ouvir os passarinhos do final da tarde, sentir a brisa mais fresca... Bom, isso é tão difícil acontecer nesta nossa vida corrida, mas de vez em quando é bom a gente se deixar levar pela preguiça da tarde.Que tal se dar um descanso, e curtir um bolo com café, do tempo da vovó?
Eu aprendi esta receita de bolo de côco feito com arroz cru. Foi a Flávia quem ensinou, e dá super certo! Aí vai:

Bolo de Côco com Arroz:

1 copo de arroz cru - lavar, escorrer e deixar de molho em 1 copo de leite por 4 hs
Depois bater no liquidificador esta mistura de arroz com leite, acrescentar:
3 ovos
11/2 copo de açúcar
1 copo de óleo
1 pacotinho de côco ralado (50g)
1 pacotinho de queijo ralado (50g)
1 colher de fermento
Coloque em fôrma untada com manteiga e polvilhada com açúcar e leve ao fôrno pré aquecido.
fica muito bom!!! Um bom fim de tarde à todos!!!

O Livro de Eli

O Livro de Eli
No ano passado,eu tive a oportunidade de ver este filme, que tinha sido indicado por uma amiga. O Livro de Eli é um filme que à princípio me pareceu triste e pesado, pois fala de um mundo pós guerra, onde pouca coisa sobrou. Tem umas cenas até violentas, fortes. Mas a mensagem é incrível- Eli é o guardião do único livro sagrado que restou no mundo. Ele luta para levar este livro para o lugar certo, para que ele ajude a reconstruir a humanidade.
O que nos faz refletir, é o fato de que a Bíblia é um livro de extrema importância, que nos leva à salvação, mas em mãos erradas, esta mesma Bíblia pode ser usada para o mal, para fins de manipular o povo através da sua crença. A Bíblia em mãos erradas pode ser um grande perigo, e hoje podemos ver isso na nossa realidade, é o que fazem essas seitas que manipulam as mentes usando palavras em nome de Deus!!!
Não vou contar o filme, espero que vocês assistam e tirem suas conclusões. Ao terminar, a gente se surpreende, e dá vontade de assistir novamente, para compreender cada parte.
Bom, passem na locadora, coloquem a pipoca pra estourar, e boa sessão de cineminha em casa!!!

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

A Água e Suas Mensagens




Uma das coisas que pesquisei para a palestra, foi o poder da oração de intercessão, e acabei encontrando, por indicação de um grande amigo, este maravilhoso trabalho feito no Japão pelo dr Massaro Emoto. Ele pegou amostras de água de uma mesma fonte, e as submeteu a diversas situações, depois, congelando-as, observou os cristais formados. Podemos ver claramente, que a água que recebeu uma oração ( para nós seria a água benta), formou cristais lindíssimos, diferente da que recebeu uma mensagem ruim, por exemplo uma ameaça de morte.
Nosso corpo é feito de 70% de água, e por aí podemos observar que bons pensamentos dirigidos a outra pessoa pode sim provocar alteração de suas moléculas. Este trabalho é só o início, mas pode ser o começo de novas descobertas que vão nos dizer aquilo que nós que temos fé já sabemos: o poder da oração na nossa vida!!!
Quem quiser saber detalhes deste trabalho, procure no google com o nome do autor ( Massaro Emoto), ou do seu livro ( Mensagem das Águas).
Também recomendo assistir ao filme : "Quem Somos Nós", que mostra um pouco deste lindo e fascinante trabalho.
Nas fotos acima, o primeiro cristal é de uma amostra que recebeu orações de 500 pessoas. As outras mostram em detalhes a água antes e depois da oração.

A Fé e a Cura


A fé e a cura

No ano passado preparei uma palestra sobre este tema para o pessoal da catequese da Salette.Pesquisei muito, estudei bastante, e confesso, estava apreensiva, pois acho este assunto um tanto difícil. Eu sou médica, estudei e trabalho ouvindo ciência, mas minha fé também sempre guiou meus passos. Pesquisei em livros religiosos e também científicos, trabalhos publicados por grandes universidades,e livros éscritos por médicos, como o do Dr Roque Saviolli,cardiologista do INCOR, e de um engenheiro, Felipe Aquino, pessoas também ligadas profissionalmente à ciência, mas cuja fé mudou sua visão do mundo. Como chegar a um consenso entre Fé e Ciência?
Comecei dando um painel de toda a história, desde antes de Cristo, quando não havia ciência, até os tempos atuais, e achei coisas muito interessantes, como o que Freud ou Darwin, ou Pasteur falavam sobre Deus. Einsten afirmou que a religião sem ciência é cega, e ciência ´sem religião é paralítica.E hoje, ainda há este embate? Sim, e muito forte,e podemos concluir o seguinte:a fé precisa da luz da ciência para não se tornar cega, fanática, fundamentalista e perigosa. A ciência, por outro lado, precisa da fé para não cair no racionalismo e não colocar suas descobertas a serviço do mal. Sem obedecer a fé e a moral, a ciência pode destruir o próprio homem. Ex:bomba atômica, células tronco embrionárias, clonagem. É preciso um “freio”, uma visão de moralidade e de ética para cada descoberta, e este é o papel da Igreja neste momento.
Depois mostrei alguns trabalhos científicos mostrando a influência da religião na cura física.Diante de todos estes estudos, podemos olhar para a religiosidade como sendo mero “método terapêutico”, estando desvinculado de qualquer ação divina ou espiritual?Estes estudos apenas mostram como a calma, a meditação pode influenciar nossa saúde. Mas estes motivos são óbvios, são vinculados à sociabilidade, á melhores cuidados, à auto segurança. Mas não é assim que pensa quem tem a fé verdadeira. Como podemos então explicar a oração feita para outra pessoa?
Não dá para associar a cura de uma pessoa através das orações de outras pessoas, o que é muito comum de se observar. Não dá para explicar isso cientificamente, pois só com os olhos da fé podemos entender tal fato.
Para quem reza, não interessa nenhum destes estudos, pois a explicação é um grande mistério. A cura para quem tem fé passa pelos Dons do Espírito Santo, e hábitos que nos conduzem a pensar e agir como faria Jesus Cristo ou Sua Santíssima Mãe. Aqueles que se deixam levar pelo Espírito Santo, vão se comportar de modo divino, e com isso, podem se sentir curados de forma integral (corpo e espírito).
Discutir os porquês das doenças é um grande mistério. O plano de Deus é um mistério para nós. Porque alguns sofrem mais, porque alguns se curam?
Alguns dizem que o sofrimento é um processo de crescimento interior, pois muitas pessoas mudam seu comportamento, sua vida após um grande sofrimento.
Mas não podemos dizer que Deus nos faz sofrer como se fosse uma lição ou castigo, uma repreensão ou retaliação. Não nascemos para a doença, mas para a saúde, o bem estar.
O organismo humano foi feito para ser saudável, temos um ótimo sistema de defesa contra quaisquer situações externas, inclusive as doenças. Quando este sistema imune falha, podemos adoecer. Da mesma forma, temos um sistema de defesa espiritual, que nos defende de maus pensamentos, tristeza, pessimismo, depressão, se permitirmos uma abertura aí, poderemos ser levados a doenças que nos desequilibram emocionalmente, o que leva também ao desequilíbrio familiar e social.
É complicado tentar entender o porquê da doença, pois não há uma razão ou lógica aí.
Para nós, basta saber que Deus, em sua infinita bondade, nos apóia em momentos de sofrimento, e devemos colocá-Lo como foco principal de nossa existência.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Madre Tereza


"Se você é gentil,podem acusá-lo de egoísta, interesseiro. Seja gentil assim mesmo!
Se você é um vencedor, terá alguns falsos amigos e inimigos verdadeiros.Vença assim mesmo!
Se você é generoso e franco, podem enganá-lo.Seja bondoso e franco assim mesmo!
O que você levou anos para construir, alguém pode destruir de uma hora para outra. Construa assim mesmo!
Se você tem paz e é feliz, poderão sentir inveja. Seja feliz assim mesmo!
O bem que você faz hoje,poderão esquecê-lo amanhã. Faça o bem assim mesmo!
Dê ao mundo o melhor de você, mas isso pode nunca ser o bastante. Dê o melhor de você assim mesmo!
Veja você, que no final, o acerto de contas é entre você e Deus. Nunca foi entre você e os outros!"

Madre Tereza de Calcutá, Prêmio Nobel da Paz em 1979

sábado, 1 de janeiro de 2011

Um tempo para cada coisa - Eclesiastes,3,1-8

"Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céus;
tempo para nascer,
e tempo para morrer;
tempo para plantar,
e tempo para arrancar o que foi plantado;
tempo para matar,
e tempo para sarar;
tempo para demolir,
e tempo para construir;
tempo para chorar,
e tempo para rir;
tempo para gemer,
e tempo para dançar;
tempo para atirar pedras,
e tempo para ajuntá-las;
tempo para dar abraços,
e tempo para apartar-se.
Tempo para procurar,
e tempo para perder;
tempo para guardar,
e tempo para jogar fora;
tempo para rasgar,
e tempo para costurar;
tempo para calar,
e tempo para falar;
tempo para amar,
e tempo para odiar;
tempo para a guerra,
e tempo para a PAZ."


A música abaixo, do The Birds ilustra esta passagem do Antigo Testamento.
Um FELIZ ANO NOVO para todos nós, que possamos fazer do novo tempo um tempo de Amor e de Paz!!!!

Turn Turn Turn